Clube de Duas - maternidade

Choro do bebê todo dia as 18h é cólica?

16/09/16

choro-das-18-horasSerá que aquele choro do bebê todos os dias mais ou menos umas 18 horas seria mesmo cólica? Não foi uma nem duas vezes que já ouvi mães dizendo "todos os dias meu filho tem cólica mais ou menos umas 18horas e fica umas quatro horas chorando sem parar!". Gente, como assim quatro horas de cólicas? Graças a Deus meus meninos nunca foram muito regulares no choro, rsrs, choravam pontualmente, por sono, fome ou cansaço, e algumas vezes de cólica, mas nunca passaram horas chorando (mesmo o Max que foi meio chorão no primeiro mês).

Mas eu ficava com o coração na mão ouvindo as mães me contando que não sabiam mais o que fazer pro choro do bebê parar, e sempre desconfiei que não fosse cólica, mas talvez alguma das necessidades básicas do bebê não identificada, como fome, dor, sono ou cansaço.

E minha sobrinha Ísis era bem assim, era uma bebê contente e feliz o dia todo, mas por volta das 18 horas começava um chororô interminável… vai de um colo pro outro, peito mais peito, banho… enfim, tudo mas a bebêzinha não parava de chorar. Até que um dia vi no facebook um texto duvidando desta "cólica às 18 horas" e sugerindo ser: A hora da bruxa!

Nome engraçado, mas faz todo sentido: A hora da Bruxa é a hora daquele choro do bebê do fim do dia, que nada tem a ver com cólica ou fome, mas sim com estresse: é o bebê cansado desta vidinha! Imagina um bebêzinho por tanto tempo dentro da barriguinha da mamãe, quentinho e escurinho, e depois uma explosão de cores, luzes, flash, músicas, colos e sensações, tantas sensações que cansa, e o bebê só sabe fazer uma coisa para reclamar disto tudo: CHORAR!

Além do cansaço do bebê, há também uma troca de energia entre mãe e filho, pois neste horário não é só o bebê que está cansado de viver, mas a mãe também está exausta, cansada da noite anterior que não dormiu, do tanto de leite que produziu, das coisas que conseguiu arrumar em casa aquele dia, da comida que mal comeu, e no fim do dia também pede arrego junto com o bebê, uma mistura de cansaço com troca de energia cansada, sabe?

Quando vi este texto, marquei minha cunhada que se identificou na hora! E conseguiu manobrar a situação com a sua segunda filha que passou pelo mesmo chororô inconsolável das 18 horas. Como resolver? Ela me disse que quando chegava neste horário e a bebê chorava, ia para o quarto com a bebê, diminuia a iluminação, aconchegava a bebê num coeiro (se fosse o caso, até dava um banho de ofurô), e conversava com ela dizendo que entendia seu cansaço, mas que naquela hora estava tudo bem pois só estavam elas duas, no lugar mais seguro possível.

Eu vejo isso não só como uma troca de emoções entre as duas, mas também como um depósito de confiança entre bebê e mamãe, pois parece que quando o choro do bebê fica desesperador, a gente desespera junto, chora todo mundo e a situação parece não acabar nunca! Desta forma, a mãe passando confiança para o filho (e para sí também) consegue reverter toda situação. Por isso, apesar da situação parecer muitas vezes incontrolável, se desesperar pode não ser a melhor solução.

Conhece alguém que passa por isso? Compartilhe o link com uma amiga para poder ajudá-la!

 

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Já segue o nosso canal?

Clube de Duas | Desenvolvido e gerenciado por gCampaner