EUA - Las Vegas - Viagens

Las Vegas: Roteiro de 4 dias de Viagem, Dicas e Primeiras Impressões

24/07/13

Roteiro-Las-VegasAntes que passe todo o impressionismo que Las Vegas cravou em mim, decidi fazer o post sobre Las Vegas para conseguir passar tudo desta cidade maravilhosa.

Assim como no post de Miami, decidi fazer um roteiro, pois quando eu vou conhecer uma nova cidade, fico muito em dúvida quanto tempo levamos para chegar em tal lugar e quanto tempo demoramos para conhecer tal lugar. Eu gosto de escrever o que gostaria de ler, por isto decidi fazer um roteiro, novamente.

Las Vegas é uma cidade que vc toma um susto logo quando pousa no aeroporto, as proporções são sempre imensas, você já pousa num aeroporto gigantesco, que fica praticamente paralelo à rua principal de las Vegas, a Las Vegas Boulevard, mais conhecida como Strip.  E você vai conhecer basicamente ( etalvez somente) a Strip. Na hora que você desce do avião, já vê que o pessoal leva a sério mesmo este negócio de cassino, há várias máquinas caça-niquel alí nos corredores do aeroporto.  – essas coisas que só acontecem em Vegas, sabe?

Locomoção: Li em vários blogs de viagens que não é preciso alugar carro. No conceito dos blogs que li, que são blogs voltado a viagens de baixo custo, realmente dá pra se virar em Vegas sem carro, mas se você está disposto a pagar um pouco a mais por conforto, faça isto! Apesar de “tudo” em Las Vegas se concentrar na Strip, a rua é imensa (7KM), e pra se descolar de um lugar pra outro, levaria muito tempo sem carro. E pra favorecer a condição do carro, nenhum hotel cobra estacionamento (pelo menos nenhum dos que eu estacionei), nem quando você para no Valet Park, porém, você precisa dar uma gorjetinha para os caras. Vale a pena alugar carro. Há os trenzinhos que ligam hotéis da mesma rede, fica mais fácil a locomoção, mas não são em todos os hotéis.

Las Vegas é um lugar que você para pra pensar porque é que tem tanta, mas tanta gente a toa assim na rua, rsrsrs. Gente, é incrível, as ruas estão sempre lotadas (pensa num carnaval, passando o trio elétrico, rsrsrs, ) dentro dos hotéis sempre está cheio de gente, os restaurantes estão sempre lotados (sem reserva você não passa do bar), as piscinas e os espetáculos também! É gente demais querendo se divertir!

História: Las Vegas na verdade era um óasis no meio do deserto, onde foi descoberta por uma expedição mexicana que procurava um caminho alternativo para chegar em Los Angeles no início do século passado. Mas Las Vegas bombou mesmo, virou este polo de cassinos a partir da década de 30, quando o jogo foi legalizado em Nevada e proibido na California, daí os jogadores de Los Angelas “migraram” para Vegas.

Las Vegas não é uma cidade tipo uma outra qualquer, vamos tomar por exemplo o Rio, que você faz um passeio bem turistico como ir ao corcovado, um passeio mais local como ir à praia, depois almoçar alí por perto, dar uma volta pelas ruas e quem sabe ir a um shopping, essas coisas. Las Vegas é uma cidade constituída de hotéis. Só! Dentro do hotéis, você encontra mil restaurantes, museus, o cassino do hotel, as lojas do hotel, se encanta com a decoração específica do hotel e faz os passeios de hotel para hotel – e não de cassino em cassino como a gente costuma ouvir. E diga-se de passagem, Las Vegas não tem “só” cassino.

É realmente um lugar fora do comum, nã há nada neste mundo que possa se comparar a Las Vegas. Imagina um lugar que surgiu no meio do deserto e atrai mihares de pessoas por dia, não por belas praias, nem por belas paisagens, muito menos por sua cultura, mas atrai pelas construções, festas, espetáculos, gastação desenfreada, cassinos e milhares de lojas caríssimas ao redor da cidade.

Uma coisa que eu sempre achava estranho é esta história de entrar nos hotéis, sempre ficava imaginando uma cena um pouco estranha, vc entrando na recepção do hotel, com aquela cara de tacho, o bell man do hotel te olhando… sei lá, imaginava uma situação estranha, mas lá descobri que os hotéis são feitos para atrair turistas, funcionam praticamente como “shoppings”, onde a entrada pela Strip é a entrada principal de pedestres e a maioria dos hotéis tem uma entrada lateral para entrada de carros e hospedes do hotel, geralmente quando você entra no hotel, nem vê a recepção, só se for hospede mesmo.

Cada hotel irá te encantar por algo em específico: Um tem o melhor cassino, outro pela decoração, outro pelo céu (teto, na verdade), outro pelos restaurantes, outro pelas piscinas, etc. Aliás, na época de calor, o que mais se vê são pessoas sassaricando de biquini pra cima e pra baixo dentro dos hotéis, por mais luxuoso que o hotel seja, ninguém ta nem aí para a forma de se vestir. E posso inclusive garantir que os brasileiros são os mais bem vestidos, você enxerga um brasileiro de longe.

Os Hotéis da Strip

Mapa-Strip

Como se vestir: Diferente de Orlando e Miami, Las Vegas é uma cidade que se vê muitos americanos, e muitas outros turistas estrangeiros, lógico.  Mas os americanos no geral se vestem de forma muuuuito à vontade, de short, chinelão e blusinha da abercrobie (pelo menos no calor). Você pode se vestir da forma que se sentir melhor, mas nada de salto durante o dia porque se anda muito. Nos espetáculos as pessoas vão do jeito que dá pra ir, tem gente que emenda o dia ao espetáculo, tem gente que sai do jantar direto para o espetáculo e vai mais bem vestido e tem gente que simplesmente vai mais arrumadinho. Para jantar ou para a balada os americanos são exagerados (não exatamente bem vestidos), muito brilho, maquiagem sobrecarregada, giga saltos e vestidos curtos.

Las Vegas com crianças: Las Vegas é uma cidade que dá pra ir com crianças, não há tanta loucura como ouvi dizer nos corredores dos cassinos, o povo é de boa, todos vestidos, se comportam bem (exceto na madrugada), mas não diria que é um lugar para crianças, pois não há tantos atrativos para eles, e crianças ficam extremamente estressadas quando não curtem um passeio e não podem fazer muitas coisas. É um passeio para encher os olhos dos adultos. Se puder evitar levar crianças, faça. Se não, dá pra ir tranquilo, mas acredito que não dará para aproveitar tão bem.

Jantar: Las Vegas têm os chefes mais renomados do mundo! Eles são praticamente tratados como estrelas do rock, com vários outdoors deles ao redor da cidade e tudo mais. Os restaurantes são os mais fantásticos, com decoração maravilhosa, excelente atendimento e comida espetacular. Caso não se interesse muito nos restaurantes e também ache caro, acho que pelo menos uma noite “bem comida” valeria a pena para provar as delicias da cidade. Lembre-se de SEMPRE fazer reserva, eu não imaginava, mas é muito difícil mesmo conseguir uma mesa nos melhores restaurantes. O preço é a mesma coisa que no Brasil, só que em dollar. Ah, e americano janta cedo, a partir das 6 e os restaurantes geralmente não aceitam mais ninguém as 22:00.

Vamos comecar nosso passeio pelos hotéis da parte sul e depois descendo pelo hotéis mais famosos.

Dia 1: New York, New York!, MGM, Excalibur, Luxor e Mandalay Bay

lasvegas-1

NYNY! Se estiver de carro, entre pelo NyNy, estacione o carro na garagem do hotel e comece o passeio por lá. É um hotel temático, sem muita firula na parte dos cassinos, mas tem um corredor de compras/restaurantes simples mas bonitinho porque imita New York. Tem loja de mágica, loja de suvenirs (que inclusive comprei um boné pra ajudar suportar o sol), lojinha de celular (que adora furar os olhos de brasileiros), nada demais, apenas bobaginhas e restaurantes. Hotspot: Tem uma montanha russa que roda em volta do hotel. Os reviews que li sobre a montanha russa são péssimas, dizem que parece que o carrinho vai tombar a todo instante. Alí também funciona o espetáculo sensual do Cirque du Soleil, Zumanity.

MGM: Após o NYNY, atravesse a passarela e vá para o MGM. Este hotel é espetacular e super animado. É beeeem grande, nós andamos um tempão por lá (lá tem wi fi grátis tbm) e tenho a sensação que não vimos tudo. Logo que entrar, você vai dar de cara com o restaurante Rainforest (igual ao da Disney Downtown e do Sawgras) e logo depois o restaurante-balada Hakasan (nós tentamos entrar sem reserva, mas no dia que fomos ele tinha fechado mais cedo). O cassino do MGM é gigantesco, nele vc passa por ótimos restaurantes e os teatros do mágico David Coperfield (o show dele me parece uma coisa tao anos 90) e do espetáculo Ka, do Cirque du Soleil. Nos corredores fora do cassino vc encontra várias atividades, como um joquinho do CSI, exposição de fotografias, restaurantes super bacanas (nossa, muuuuitos), praça de alimentação, sorveterias, etc. No lobby do MGM tem o famoso leão dourado, faz parte do passeio ir lá e tirar uma foto com ele. Tem a parte ‘undergroud’, que é tipo um corredor de lojinhas que liga ao estacionamento. Se estiver com preguica, não precisa ir, não tem nada demais. Li que tinha uma jaula com leões em várias blogs, mas descobri que a atração foi desativada. O ruim depois é ter que voltar tuuuuudo, passar por todo hotel pra sair de novo e conhecer um novo hotel. Hotspots: o Ka, o Hakasan e o show do David Coperfield.

Excalibur: atravessando a passarela do MGM para NYNY, passa dentro do NYNY e depois atravessa a passarela do NYNY para o Excalibur. O Excalibur é um hotel que imita um castelo medieval. Eu li péssimas reviews sobre o hotel, que era bem trash, feio e estranho. Acho que eu estava esperando algo tão ruim…. que até me surpreendi quando cheguei lá. Tá certo que vc toma um certo choque depois que sai do super moderno MGM e entra no Excalibur, que é bem sem vergoinha, mas até que é ok. O cassino dele também nao é la grandes coisas. No andar de cima tem tipo um shoppingzinho de lojas e uma praça de alimentação bem completa, nada de grandes restaurantes, mas dá pra fazer um lanche legal por lá. Seguindo direto por este corredor, vc sai no corredor que liga o Excalibur ao Luxor (aliás, são 3 hotéis da mesma rede: Excalibur, Luxor e Mandalay Bay, que inclusive tem conceitos bem diferentes e ligados por um Monorail) Hotspots: Li em algum lugar que tem um restaurante-show medieval com cavaleiros e tudo mais e que se come sem talhares. Não sei se existe ainda, mas não me parece atrativo.

Luxor: Eu li que o Luxor é o segundo maior hotel do USA, atrás do MGM, mas a sensação é que ele é bem menor. Você entra pelo cassino, que a este ponto já parecem ser todos iguais, seguindo a esquerda, começam a aparecer uns restaurantes e a seguir uma escada. Aí você toma um susto por que começa a perceber que está realmente dentro da uma pirâmide. O hotel é temático, vc se sente no egito, com a esfinge, estátuas sentadas, essas coisas do egito, subindo um pouco mais, você vê uma ponta de navio que é um museu do Titanic. Lá tbm tem um show de stiptease (acho que era isso) e um espetáculo tipo blue man group que não lembro o nome. Hotspots: Museu do Titanic e Show de mágica do Cris Angel.

Mandalay Bay: No corredor entre o Luxor e o Mandalay há um shoppingzinho, não é grandes coisas, mas tem uma urban outfitters e alguns pubs, se ficar de saco cheio de andar, pare por alí e tome uma corona! A estas alturas, você não quer mais ver cassino, você já quer enxergar além. No Mandalay fiquei morrendo de vontade de assistir ao espetáculo novo do Cirque du Soleil do Michael Jackson, mas como era bem novo, fiquei com medo de trocar um muito bom por um que talvez seja mais ou menos. Tem uma adega super curiosa que é uma torre super alta, que uma moça faz rapel para pegar o vinho, fiquei interessda em ver a moça em ação pra pegar um vinho. Aí você anda mais um taaanto e acha o tal do aquário do Mandalay, custa $18 e até que é bacaninha, eu recomendo. Hotspots: Octógono de MMA e o Aquario Shark Reef

Depois pegue o monorail que liga o Mandalay ao Excalibur, chegando no excalibur atravesse a passarela e pegue seu carro no NYNY e volte para seu hotel para seu jantar ou o show da noite.

Dia 2: Cosmopolitan, Crystals, Ária, Monte Carlo e Bellagio

las-vegas-roteiro-2

Estacione o carro no Cosmopolitan. O cosmopolitan foi um dos estacionamento melhorzinhos dos que eu estacionei em Vegas, porque é no subsolo, nos outros hotéis o estacionamento é fora do prédio e longe toda vida.

Cosmopolitan: Eu fiquei neste hotel e percebam que eu puxo uma certa sardinha pra ele. Se você chegar a passar na recepção do hotel, verá as “pilastras de led” que mudam de tema de tempos em tempos, o meu preferido são de um homem e uma mulher, como se eles estivessem presos dentro da pilastra, é incrível. Como eu disse, depois de ver tanto cassino, eles passam a ser todos iguais, mas o do cosmopolitan tem um quê de modernidade e juventude, além de mais pessoas jovens também. O andar térreo durante o dia não tem grandes atrativos além do cassino, mas a noite o bar Bond é uma excelente pedida! E no térreo é onde fica a capela do hotel, a Pop Up Chapel, onde eu casei e falei mais aqui. No segundo andar tem algumas lojinhas de moda e alguns restaurantes super bacaninhas, mas parecem ser algo mais para almoço. Subindo a escada rolante para o terceiro andar você vai ver tipo uma praça de alimentação com restaurantes super tops! Super recomendo o STK e o Blue Ribbon Sushi, e ouvi falar super bem do Scarpeta e Wicked Spoon. Na verdade o Cosmopolitan é um hotel excelente, mas não possui tantos atrativos como outros hotéis. Hotspots: Marquee NightClub e Chandelier Bar

Cristals at City Center: Saindo do Cosmopolitan, pegue o viaduto e vá até o shopping Crystals. O Cristals é um shopping top, tá certo que todo hotel tem uma lojinha da Chanel pra chamar de sua, mas no Crystals tem a maior concentração de lojas de luxo em Las Vegas. Além de ser um shopping com design maravilhoso e gostoso de dar um passeio. O Crystals fica no City Center, um complexo de Hotéis que engloba o Cosmopolitan, Aria, Vdara e Mandarin Oriental.

Aria: Procure o monorail que liga o Crystals ao Aria e ao Belagio. Vá até o Aria. Acho que eu estava esperando tanto do Aria, que me decepcionei. É um hotel muito bonito, com design fantástico, em volta do cassino há vários  restaurantes, na recepção do hotel há várias borboletas gigantes na decoração, mas eu não sei porque, esperava mais. Não sei se tem outras coisa que eu não vi, mas achei meio sem graça. Eu almocei no Aria Café, excelente pedida, comida boa, lugar maravilhoso e muito agradável. Um detalhe engraçado do Aria é que ele não fica na Strip, ele fica atrás do Cystals e a entrada oficial é pela rua atrás da Strip. Hotspots: Espetáculo Zarkana do Cirque Du Soleil

Extra: Mandarin Oriental e Vdara –  Eu não fui nestes hotéis, mas pelo que lí, não são exatamente hotéis voltados para receberem turistas, mas se você quiser e tiver disponibilidade, porque não? Ficam próximos ao Ária e Cristals

Monte Carlo: Voltando ao Monorail (ou desça no Monte Carlo primeiro e depois vá ao Aria),  vá agora para o Monte Carlo. O Monte Carlo, até onde eu lí, é um hotel  meio velho e chic. Realmente quando entramos percebi que a idade média era mais alta. Lá é onde acontece o espetáculo do Blue Man Group, inclusive há um ponto fotográfico com  o Blue Man Group super legal próximo ao lobby. Após sair do Monorail, vai dar direto num corredor de lojinhas super lindo chamado Street of Dreams. Não ví o cassino do hotel, mas como não me pareceu um ambiente muito convidativo, nem me interessei em conhecer. Hotspots: Blue Man Group e Street of Dreams.

Bellagio: Pegue o Monorail agora direto para o Bellagio. O Bellagio é um hotel inspirado na Italia e lí no blog da Dri Everywhere que a decoração com vidros murano que o hotel tem é típico da região de Veneza. Logo que se entra dá de cara com um corredor de lojinhas, você passa por uma cascata de chocolate (meu Deus, televisão de cachorro) e logo a frente tem os jardins de inverno do hotel, chamado de “conservatory”, maravilhoso! Mais a frente tem a recepção, com flores de murano no teto. Ao lado tem o Cassino, que eu li ser o maior de Las Vegas e você nem consegue enxergar o fim dele quando entra. Além de alguns restaurantes em volta, há também o teatro do espetáculo do Cirque de Soleil que é na agua, o “O”. A frente do hotel tem um lago que de hora em hora, se não em engano, tem um show de “águas dançantes”, chamado de “Fountains of Bellagio”, eu não consegui ver, mas todo mundo diz ser lindo. Hotspots: Espetáculo “O” do Cirque du Soleil e o Show das águas na fonte em frente ao hotel

Saindo do Bellagio, volte em direção ao Cosmopolitan para pegar seu carro, você irá passar em frente ao Bellagio, é o momento de uma bela foto em frente ao hotel e se quiser esperar, veja o show das águas dançantes.

Dia 3: Planet Hollywood , Paris e Caesars

las-vegas-roteiro-3

Planeta Hollywood: Comece estacionando o Carro pelo Planet Hollywood. O PH é um hotel super jovem. Por fora ele tem toda uma atmosfera que lembra a Times Square em NY, cheia de telas de leds na fachada e barzinhos pela calçada. Lí que como o hotel tem excelentes tarifas atrai muitos jovens que fazem 21 (maioridade no USA) e vão pra lá comemorar. O PH tem um shopping bem grandinho para os padrões Vegas, o shopping é o Miracle Miles e tem um formato de círculo. O bom do shopping é que tem lojas “compráveis”, nada de Chanel e cia ltda (desculpa, mas me sinto muito pobre perto destas lojas, rsrs), não é um shopping tão lindo como outros, mas é bacaninha porque o teto imita o céu e as lojas são em formato de casinhas/cidade. Eu não entrei no hotel, mas a Lay que já foi lá em 2010, disse que eu perdi muita coisa, rs, porque lá dentro é super bacana #fikadika. HotSpots: Miracle Mile Shops

Paris Las Vegas: Saindo do PH, a direita fica o Pari Las Vegas. Lá é o lugar para tirar uma bela foto em frente a torre Eifel. O interior do hotel é mais um cassino, daqueles que você já cansou de ver, com tema…parisiense! O legal é que o hotel consegue reproduzir o ambiente boêmio de Paris, os restaurantes tem mesinhas “para fora”,- dentro do cassino, claro – com carinha de Paris. O que me deixou de queixo caído foram os lustres na recepção, maravilhosos! Se tiver a oportunidade, tome café da manhã, ou outra refeição, no restaurante “Mon Amie Gabi”, que fica na varandinha de frente para o Bellagio, é muito agradável. Lí que é muito bom também o restaurante que fica na Torre Eifel, mas que é disputadíssimo. HotSpots: Restaurante “Eiffel Tower Restaurant” , que fica na torre eiffel (dãn!), lí que é super bom porém disputadíssimo.

Caesars: Saindo do Paris, pegue o carro e vá para o Caesars, porque é meio longe andando – mas dá pra ir. O Caesars é o hotel do filme “Se beber, não case” e o hotel explora isto muito bem, tem inclusive uma loja especial do filme. Na verdade eu fiquei bem confusa na hora que entrei na área do hotel do lado de fora ainda, em meio a monumentos, restaurante, eu fui seguindo o fluxo e cheguei na recepção do hotel. A recepção é linda, super imponente e iluminada, com uma fonte no meio e estátuas. Aí você vai andando pela direita e entra no mega giga cassino. Este cassino você vai andando a vida inteira, passa por restaurantes e pela entrada do Show da Celine Dion (she’s back!), este cassino era super animado, aliás, adorei este hotel em todos os sentidos! Depois você chega no Forum Shops, que tem um teto que imita céu e mais ou menos a cada 5 minutos vira dia e depois anoitece, isso deixa a gente um pouco confuso. Eu adorei o Mix de lojas deste shopping porque mistura Loubutin, Guess, Chanel, Sephora, Valentino, H&M, etc! O shopping é enorme, se quiser fazer umas comprinhas, vai gastar um bom tempo aí dentro. Hotspots: Forum Shops e Show da Celine Dion

Dia 4: The Mirage, Tresure Island, The Venetian/The Pallazo, Wynn/Encore, Fashion Show Mall

las-vegas-roteiro-4

The Mirage: Comece o dia estacionando o carro no The Mirage. Agora eu vou ter que fazer a parte fantasiosa, eu não tive tempo para ir no The Mirage nem no Treasure Island, mas tenho certeza que dentro deste roteiro é possível visitar estes hotéis. O The Mirage foi o primeiro Mega-Resort-Cassino de LV, construído em 89. Lá dentro tem uma verdadeira floresta tropical, chamada de Atrium. Tem também o “Secret Garden” que recria o habitat de algumas espécies em extinção, “dolphins Habitat” com show de Golfinhos e também um aquário com tubarões, raias e peixes. Na frente do hotel, à partir das 19 horas, tem um show com um vulcão artificial que cospe fogo a cada 15 minutos. HotSpots: Espetáculo “Love” em homenagem aos Beatles do Cirque du Soleil.

Treasure Island: Não consegui muitas infos sobre o hotel, mas tem um espetáculo do Cirque du Soleil e na frente do hotel tem um show musical de piratas que até parece ser bacaninha, os piratas pulam de um lado para o outro com uma corda, entram navios no lago, bombas de canhões…mas não assisti tudo. O espetáculo acontece só a noite. Quem tiver mais infos sobre este hotel, por favor compartilhar! HotSpot: Espetáculo Mistere do Cirque du Soleil.

The Venetian/The Pallazo: Pegue o carro e estacione no The Venetian. O Venetian é a cara de..Veneza! Logo quando se entra (não sei se tem sempre) tem três personagens fantasiados do carnaval de Veneza passeando próximo à recepção. Aí seguindo pelo cassino, que a este ponto não tem nada de mais mesmo, logo depois tinha um teatrinho de fantoches, que pelo que eu lí é permanente, logo depois começou uma peça com os personagens do carnaval de Veneza numa praça do hotel, mas eu não ví, já estava longe. Subindo o andar, tem o passeio de Gôndola, com os “remadores(?)” cantando, acho que faz parte do passeio no hotel, mas o maridão não quis encarar o mico. Em volta há alguns restaurantes e uma vilinha que acredito eu, representa Veneza. Logo mais a frente há o Canal Shoppes, um pequeno shopping com marcas luxuosas. O The Pallazo é um hotel anexo ao Venetian, lá tem uma loja da Lamborguini e também um shopping chamado Shoppes at The PallazoHotSpots: Madame Tussauds e o passeio de gôndola externo (que é pago).

Wynn/Encore: Atravessando a rua em direção Wynn, tire uma boa foto! O Wynn é super moderno e o prédio é muito lindo, parece uma parede de ouro, quando o sol reflete nas vidraças do hotel, é uma beleza de outro mundo! Eu achei o Wynn um ambiente mais conservador, apesar da estrutura moderna, ví mais senhores e bem menos badalação e gente andando pra cima e pra baixo. Quando você entra no Wynn passa por um corredor só com marca TOP! De McQueen, passando por Dior à Chanel (aqui é a maior loja da marca), alí, só cliente nível Lalá Rudge! O hotel tem uma decoração que me lembrou um circo futurista, não sei se quer representar isto, mas é isto que me lembrou. Logo depois do corredor de lojas tem um jardim interno incrível, não sei nem descrever de tão lindo. Ao lado, descendo as escadas rolantes em curva(!!!) tem um bar e do lado de fora a Lake of Dreams, um lago com cascata, tem uma varandinha meio lounge super gostosa para pedir um drink e dar uma descansadinha. Lá tem também uma loja da Ferrari. Assim como no The Palazzo, o Encore é um anexo ao Wynn. HotSpot: Espetáculo “Le Revê”, dizem que concorre com o “O” do Cirque du Soleil

Fashion Show Mall: Saindo do Wynn, atravesse a passarela e saia direto no Fashion Show. O Fashion Show é o único Shopping neste “centrinho” da Strip que não depende de nenhum hotel. O shopping é ótimo, tem lojas como Zara, Forever 21, Apple, Macys, Sack’s,Victoria’s Secrets, Top Shop, oakley, Michael Kors, etc…

Dentro de um roteiro de 4 dias, estes foram os passeios que eu fiz em Las Vegas. Como eu fiquei 5 dias, tirei um dia somente para compras, fui na Toys R Us (comprar brinquedos), na Walgreens (comprar produtos de farmácia – a do Planet Hollywood é ótima!), na Target comprar bugingangas e afins, na Best Buy comprar eletrônicos e também no Premium Outlet North que é excelente, recomendo.

Outros lugares que fui:

Stratosphere: É um hotel lá no fim da Strip, bem no fim mesmo, é até uma região meio estranha. Li que o hotel não deu certo por conta da distância. O hotel é feio, bem acabadinho, não parece os hotéis de Las Vegas. O ponto alto do hotel é a torre, que cobra $18 por pessoa para subir e ver a paisagem de Las Vegas do alto. Lá em cima tem ainda um restaurante que dizem ser bom e um parque de diversões, mas nós achamos tão estranho lá em baixo que decidimos nem subir.

Lojas do Hard Rock, M&M’s, Coca-Cola e Harley Davidson (próximos ao MGM): Se não quiser ir, não vá. As lojas da M&M’s e Coca-Cola não tem nada de mais a não ser muita gente entulhada. São iguais às de NY, assim como o Hard Rock e Harley Davidson.

Placa “welcome to the fabulous Las Vegas”: É um ponto turístico “tem que ir” e tirar uma foto. Saindo do aeroporto em direção ao seu hotel da Strip você passará em frente, se quiser, faça o retorno e tire uma foto logo, há estacionamento em frente.

Deixei de fora mas quero ver na próxima vez: 

Fremont Street: Foi onde tudo começou em Las Vegas, os primeiros cassinos e as placas originais que transformaram a cidade neste mundo iluminado. É uma rua fechada e no teto há projeções bem coloridas. Dizem que é melhor ir a noite.

Ficaram de fora da minha lista: Tropicana, Rio, Palms, Flamingo, Imperial Palace, Harras, Circus Circus, Bally’s.

Espero que tenham gostado e que eu tenha conseguido fazer vocês viajarem comigo.

Se você tem alguma coisa a acrescentar, deixe no comentário que eu posso até subir para o post.

E se você foi para Las Vegas, usou minhas dicas e gostou, conte aqui também! Vou adorar saber!!!

bjsbjsbjs

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Já segue o nosso canal?

Clube de Duas | Desenvolvido e gerenciado por gCampaner