gravidez - maternidade - momento maternidade

Dicas de como amamentar – especial para quem tem dificuldade

01/06/17

Oi Meninas! Hoje eu trouxe um post que escrevi em 2012 e não postei, acreditam? É sobre dicas de como amamentar. Eu estava apagando uns posts velhos que estavam de rascunho no admin do blog e encontrei este e outros, praticamente prontos, só faltavam alguns detalhes. Este eu li eu vi que está MUITO e HIPER completo, por isto resolvi postar em vez de descartar, até porque é um assunto que não envelhece.

Meu depoimento é muito fresco, fiz logo após o Max nascer e tudo que passei. Na época eu tinha TRAUMA de amamentar, vocês irão perceber como trato disto ao longo do texto. Mas hoje, depois de amamentar direitinho o segundo e o terceiro, sou uma mãe completamente livre deste trauma (e de muitos outros), graças a Deus! Sei também que se você chegou a este post, é muito provável que esteja passando por alguma dificuldade de como amamentar, por isto, de todo meu coração, espero que realmente eu possa te ajudar de alguma forma. Beijos da Thieli de 2017, mãe de 3, e boa leitura.

 

Dicas de como Amamentar – 2012

 

O tema amamentação é um dos mais delicados para se tratar com qualquer mulher que já tenha tido filho. Pois amamentar um recém nascidos poucas vezes é aquela amamentação mágica, aquele momento de troca de carinhos entre mãe e filho, aquela ternura infinita. Na maioria das vezes é um stress muito grande entre bebê e mãe, problemas como o bebê dormir durante a amamentação e não conseguir se alimentar direito, pouca produção de leite, falta de força na sucção e interesse do bebê em mamar, bico do peito rachado, são apenas alguns dos tantos problemas que acompanham as mães na hora de amamentar.

Quando o Theo nasceu, tudo que eu lia sobre os problemas da amamentação, eu achava que não iriam me atingir. Sei lá, parecia coisa para os fracos, sabe? Pra gente que não conseguia encarar coisas simples…e eu não consegui. No segundo dia de amamentação, quando eu vi que não conseguia nem tomar banho com a água caindo nos seios, de tanta ardência, percebi que nem tudo iria ser como propaganda de TV. O meu primeiro obstáculo foi o seio rachado. Era tanta dor, que eu não conseguia entender porque endeusar tanto o ato de amamentar.

Na hora que o Theo pegava o seio, era uma dor que doía literalmente na alma, Theo mamava leite com sangue. O que eu pude usar de pomada eu usei, mas não resolveu. Aos poucos, comecei a introduzir a fórmula, para “descansar”o bico do seio, mas também não ajudava muito. Outro grande desafio era fazer o Theo mamar. Assim que ele começava a mamar, antes de 5 minutos, ele desmaiava de sono e não acordava fácil. Foi um período DESESPERADOR. Aos poucos, por todas as dificuldades que eu via, acabei desmamando Theo com dois meses. Eu insisti o que consegui amamentar, mas não tinha condições de manter mais tempo daquela forma, nós estávamos sofrendo muito. Eu pela dor e ele por não se alimentar.

Com o tempo, Theo foi apresentando vários sinais de alergia na pele, levei ele em 1000 médicos e fez 1002 exames. Nada de muito concreto, mas todos concordavam que o problema poderia ter sido a falta da amamentação exclusiva até os quatro meses de idade. Uma mãe que desmama o filho antes do quarto mês carrega um peso e uma culpa tão imensa, que só uma dermatite atópica grave como a do Theo para piorar ainda mais as coisas.

Minha meta para o segundo filho era: AMAMENTAR. Mas como amamentar assim?

Desde que engravidei do Max, me preocupei em cuidar do seio para que ele não rachasse, passava diariamente a bucha no seio, para “calejar” , depois descobri que passar a bucha não era uma método muito bom. Descobri que a pomada Lansinoh era a milagrosa para os bicos rachados, e me disseram que era bom passar um mês antes do parto, mas depois descobri que também não tinha muito efeito antes de amamentar. A MAIOR  dica foi a da lâmpada. Duas semanas antes do parto, descobri que podia usar uma lâmpada (a do abajur sem a cúpula), no lugar do sol (dizem que tomar sol nos seios é o melhor remédio para seios rachados, mas quem consegue fazer isto gentem?), ficava 20 minutos por dia fazendo banho de luz com a lâmpada de 60W, 10 minutos em cada seio, deixava bem próximo pra dar uma “cauterizada”.

Quando o Max nasceu, as enfermeiras elogiavam o bico do meu seio, hahaha, eu morria de rir, elas diziam que era o melhor formato para poder amamentar. Antes mesmo de sair do hospital, meu seio rachou. Foi bem frustrante, porque eu me preparei tanto, e pareceu que não tinha funcionado. Precisei até recorrer a algumas mamadeiras pra recuperar o seio, mas praticamente dava banho de luz com lâmpada três vezes ao dia, o que fez meu seio ir melhorando. Mesmo com a lâmpada, o seio continuava ardendo e rachado. Amamentar ainda era um mega tabu, doía muito, era muito cansativo e estressante.

 

Meu bico rachava, eu achava que não tinha leite suficiente, Max estava ganhando pouco peso (mas pelo menos não perdia), ele dormia quando pegava o seio (não se alimentava o suficiente), um cansaço imenso, pois amamentar demanda muita energia da mãe, e eu praticamente passava o dia inteiro com o menino amamentando, com dor nos ombros, por causa da posição de amamentar.

Na segunda visita ao pediatra, por conta de uma febrinha que ele estava tendo, com 17 dias de vida, a pediatra me recomendou contratar uma enfermeira que auxilia na amamentação. O nome dela é Dona Josefa, eu diria que é uma anja para as mães no início da amamentação.

Quando liguei para Dona Josefa, ela perguntou alguns dados do Max e disse “já estou chegando aí”. Mais ou menos em 40 minutos, ela chegou, e pediu pra eu amamentar o Max pra ela entender como estávamos nos relacionando rsrs, além de elogiar o bico do meio seio que é excelente pra amamentação (hahahaha), disse também que eu tinha bastante leite para amamentá-lo e me deu algumas dicas com relação:

  • Ele dormir no peito: Ela disse que a maioria dos bebês dorme mesmo no peito, alguns conseguem acordar e outros não, para resolver, tem que “colocar leite” na boca dele. A técnica é simples, porém trabalhosa, é preciso ordenhar o leite (igual vaca, sabe? rsrsrs), e como ele está dormindo e não consegue sugar, ordenhando, o leite vai pra boquinha dele e ele engole. Foi muuuito trabalhoso por 3 dias ordenhar o leite, mas ela disse que desta forma, o leite iria começar a descer sozinho, sem precisar fazer tanta força. Realmente com o tempo foi ficando mais fácil, mas nos primeiros dias foi muito cansativo ordenhar o leite, doía peito, doía braço, doía as costas, doía tudo, pelo esforço que fazia para ordenhar, mas valew a pena, na primeira semana ele ganhou 300gr.
  • Posição de amamentação: Percebi que o grande problema da rachadura no seio era a posição de amamentação. Eu não me lembro bem como era, mas era errado. Ela me ensinou que o bracinho dele precisa me abraçar por debaixo do meu braço, parecia mágica, a boquinha encaixou perfeitamente. Disse a ela também que me preocupava se ele não iria “sufocar” no peito, porque o narizinho parecia ficar muito próximo do meu peito, ela me ensinou a “relaxar” o braço, mais uma vez, uma dica que caiu feito uma luva, pois meu braço ficava sempre tensionando, preocupada se ele não iria cair.
  • Pomada para os seios: Eu cheguei a reclamar que mesmo com a pomada lansinoh eu não sentia muita diferença no seio, sempre os sentia muito rachados. Ela me ensinou em vez de colocar a pomada no seio diretamente, despejar uma boa porção da pomada no centro do absorvente de seio, e isto fez toda a diferença. IN-CRÍ-VEL como duas dicas aparentemente super simples fizeram toda a diferença, em menos de 24 horas meus seus cicatrizaram e nunca mais tive nenhum tipo de rachadura. Eu já estava pensando que era algo congênito, sei lá, algo que iria me acompanhar para sempre, questão de sensibilidade da pele.

 

 

Seguindo todas estas dicas, em dois dias meu peito parou de rachar e finalmente encontrei meu momento amamentação de comercial de tv: Mágico e sem estresse, porque fui atrás de uma ajuda especializada e percebi que estava fazendo alguns errinhos, sem perceber, que atrapalhavam minha amamentação.

Meninas, é isto, espero mesmo, de coração, ter ajudado vocês.

Um beijo no coração e se puder, compartilha este post no facebook e marque as amigas, para que mais pessoas vejam.

 

 

TAGS:
Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Já segue o nosso canal?

Clube de Duas | Desenvolvido e gerenciado por gCampaner